quinta-feira, 28 de março de 2013

2 SEMANAS NO MORRO (documentário)

     
 Santa Marta: Duas Semanas no Morro from Poa Resiste on Vimeo.

Este filme foi produzido no final da década de 80, durante duas semanas que a equipe do filme manteve-se no Morro Santa Marta, favela localizada no bairro de Botafogo no Rio de Janeiro, para falar sobre violência e discriminação sofridas pelos moradores por diversos meios.
Durante todo o documentário, o diretor deixa claro as condições de baixo custo das filmagens. Logo no início ele coloca cartazes no morro para moradores interessados em contar suas histórias de violência e discriminação. Sendo esses depoimentos o encadeamento do filme e como este é organizado. As pessoas entrevistadas fortalecem a tese apresentada pelo diretor com fatos de como é a vida na favela. Também é importante reiterar que algumas entrevistas foram feitas na associação de moradores, e são nesses espaços que os depoimentos são apresentados de forma mais veemente.
Um momento importante na defesa da tese do filme é quando um dos depoentes do documentário reclama ao policial sobre a forma como os favelados do morro são tratados. Esta depoente, que no caso é uma mulher, defende que existem pessoas boas e pessoas más em qualquer lugar e que o morro não foge desta premissa, logo os favelados não devem ser tratados com violência. Durante esta cena o diretor deixa que o telespectador perceba a presença da câmera no momento da reclamação, mesmo assim, não há interferência em nenhum momento na reclamação da mulher. Conseguindo assim, um depoimento bastante fiel da realidade.
Outro ponto importante é a visão dos jovens desta comunidade, pois ao mesmo tempo em que eles gostam do lugar onde vivem, eles aceitam suas condições subumanas de viver, os entrevistados ainda afirmam não ter expectativa de vida de qualidade e acabam por tratar seus sonhos profissionais apenas possibilidades distantes.
Resumidamente, o documentário mostra a violência da forma mais simples: com o relato de quem as vive. Opção que dá ao diretor o grande mérito de prender a atenção dos telespectadores com histórias dos personagens que vivem aquela realidade.
“Morar no morro para mim é felicidade Eu levo a vida na maior tranqüilidade No meu barraco a tristeza não mora Porque lá  em cima a alegria é toda hora Tudo é beleza ó quanto esplendor O morro tem um panorama inspirador Se não a credita venha ver de perto suba lá O morro é um verdadeiro paraíso aberto”
Samba Enredo de 1987 — Capitães de asfalto — G.R.E.S. São Clemente (Composição: Izaías de Paula, Jorge Moreira e Manuelzinho Poeta)


Nenhum comentário:

Postar um comentário